[Resenha] A Corrida de Escorpião: Meggie Stiefvater!


Sinopse:

A cada novembro, os cavalos d'água emergem do oceano e galopam na areia sob os penhascos de Thisby. E, a cada novembro, os homens capturam esses cavalos para uma corrida eletrizante e mortal. Alguns cavaleiros sobrevivem. Outros, não. Aos 19 anos, Sean Kendrick já foi quatro vezes campeão. Ele é um jovem de poucas palavras e, se tem medos, guarda-os bem escondidos, onde ninguém possa vê-los. Puck Connolly é uma novata nas Corridas de Escorpião. Ela nunca quis participar da competição, mas o destino não lhe deu muita escolha. Sean e Puck vão competir neste ano, e ambos têm mais a ganhar - ou a perder - do que jamais pensaram. Mas apenas um deles pode vencer.

Comentários:

É muito bom ser surpreendido com um trabalho como o de Meggie Stiefvate. Essa moça tão jovem que consegue construir uma trama inovadora, dentro de um gênero que tem sido exaustivamente usado, o romance juvenil. De forma inteligente, respeitando o seu leitor, ela transforma a narrativa num filme muito bem produzido, onde os recursos são ilimitados, já que é a sua mente a grande sala de cinema que vemos ao ler ao seu livro. A trama tem como pano de fundo uma mitologia não muito conhecida pelo grande público leitor brasileiro, onde cavalos d'água, devoradores de carne, tem um papel de destaque. Essa é a premissa para falar da tão temida "Corrida de Escorpião", onde cavaleiros montam os tais cavalos, e disputam uma corrida que os pode levar a morte. Nosso protagonista, Sean, um jovem de 19 anos, é um domador desses cavalos. Um personagem forte e profundo, que poucas palavras têm , mas que sonha sonhos impossíveis para um jovem em sua condição, que é o de ter Corr, o cavalo em que compete para seu chefe. Nossa heroína é órfã e vive com os dois irmãos mais velhos, e passa enormes dificuldades onde vive. Ao descobrir que seu irmão Gabe pretende ir embora da ilha onde vivem e deixar ela e o outro irmão para trás, Punk (ou Kate, seu nome de verdade), ela resolve competir na corrida, com seu cavalo terrestre, a égua fofa Dove, que não teria a menor chance diante dos cavalos assassinos que competirão com ela. Esses dois personagens com anseios distintos (ou não) acabam se encontrando no meio do caminho, mostrando um romance que para mim não era improvável. Sean precisa de alguém leve e doce como Punk, da mesma forma que Punk precisa da força e coragem de Sean, apesar de ter isso de sobra. Após algumas tentativas frustradas de Sean de tentar comprar o Corr de seu empregador, Sean, espelhado por uma atitude mais do que corajosa de Punk, resolve fazer uma última tentativa, que para mim, significou o rompimento dos grilhões que o aprisionavam a vida que levava, onde as perspectivas eram limitadas e sem sonhos. Para mim, essa foi a lição que Punk (mesmo sem querer) ensinou a Sean. Não importa onde você esteja e o que esteja fazendo. Você não pode parar de sonhar. São os nossos sonhos que nos levam adiante. O resultado da corrida não chegou a ser surpreendente (quer dizer, de certa maneira foi), mas se encaixou perfeitamente a trajetória de ambos. O final foi de deixar a gente com o coração apertado, e vai deixar muitos leitores com lágrimas nos olhos. A gente consegue visualizar a cena perfeitamente em nossas cabeças... Termino a resenha torcendo para que a Warner ou a Disney vejam o tamanho do potencial dessa obra, e possa fazer uma adaptação digna da magnitude da obra de Meggie.




Elimar

9 comentários:

  1. Oi! Eu estava mesmo querendo ler resenha deste livro, não sabia o que esperar e agora vi que preciso ler imediatamente.
    Adorei.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Já tinham me indicado, e cada nova resenha que leio vejo que tenho motivos de sobra para ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Já é a segunda ou terceira resena que lei deste livro, estou ficando curiosa para lê-lo. A outra série dessa autora achei fraca e ai fiquei meio preocupada, mas várias pessoas gostaram que sabe. BOa resenha, Eli

    ResponderExcluir
  4. Oi Elimar, eu ainda não tinha ouvido falar deste livro, mas sua resenha me deixou bastante curiosa a respeito, ainda mais quando você fala que a Disney ou a Warner, poderiam fazer uma adaptação. Logo se ve que a história deve ser muito empolgante!
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ahh Elimar,isso nõ se faz,não conhecia a autora,não conhecia o livro mas agora sou OBRIGADA a ler esse livro,porque um livro que diz que preciso continuar a sonhar vai me conquistar com toda a certeza,mesmo que o romance seja provável,terminar o livro com o coração apertado e olhos cheios de lágrimas é uma prazer,quando a trajetória toda do livro vale a pena.... Você mais que me conquistou com essa resenha,sabe quando você sente no coração que vai amar o livro e que ele vai te fazer um bem danado?? é assim que estou me sentindo...

    parabéns pela resenha,me conquistou e emocionou.

    bjsss

    Bianca

    ResponderExcluir
  6. Olha, esse livro, para mim, foi bom. Só isso!
    Acho que a ação poderia ter começado um pouco antes, o que o deixou bem lento.
    De qualquer forma, uma adaptação para o cinema seria bem vinda, com certeza!

    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Essa linha de romance juvenil eu amo ler. não conhecia essa autora, mas agora com sua resenha eu vou ter que dar um jeito de colocar na minha lista de desejados. Ai... minha lista não vai acabar nunca. Amei a resenha. bjs
    Eykler

    www.aghridoce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi ELi!!!é tão bom sermos surpreendidas e arrebatadas por um livro! Pelo que pude perceber foi exatamente isso que aconteceu.
    Essa foi a primeira resenha que li e posso dizer que foi apaixonante. Parabéns.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. OI ELIMAR, SÓ DE LER SUA RESENHA JÁ DEU MESMO PRA COMPREENDER QUE A HISTÓRIA É MUITO ORIGINAL,,, HAA ESSES AUTORES NOS DEIXAM LOUCAS POR SEUS LIVROS, E EU NEM LI CALAFIO AINDA HEHE

    BJS
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords