[2ª Semana de Nacionais #3] A Linhagem: Camila Dornas!


Sinopse - A linhagem - Camila Dornas

Londres do século XVIII. A capital da Inglaterra era um dos mais importantes centros do mundo. Vestidos pomposos, elegância e boas maneiras. Um tempo onde as posses e a reputação regiam a sociedade. A igreja possuía poder absoluto e condenava aqueles os quais pesava a suspeita de bruxaria – a arte oculta temida e repudiada pelo senso comum. Nesse cenário intimidador, surge uma mulher especial, com dons inimagináveis. E um destino grandioso... 

Comentários:

Uma delícia... São as primeiras palavras que me veem a mente para falar do trabalho de Camila Dornas. Desde o primeiro momento em que li a sinopse, fiquei interessada no trabalho de Camila e senti que ia gostar. Seu livro tem vários elementos que me deixaram pré-disposta a ler: Inglaterra, Século XVIII, mundo sobrenatural, bruxaria, romance... Era quase como se o livro estivesse me chamando (as vezes isso acontece gente). Lá fui eu, imbuída da minha grande cara de pau, pedir parceria com a Camila. E ela, uma simpatia em pessoa, aceitou prontamente. O que me chamou mais atenção (e acredito que chamará a atenção de vocês também), é que o foco de Camila é falar, de maneira muito sutil e delicada, da situação da mulher no século XVIII. Nascida para obedecer o pai ou o marido, não havia muitas opções para as moças da época, que não tinham nem direito aos próprios pensamentos. Nesse contexto, somos apresentados a Evangeline, uma moça especial, que esconde de todos um dom maravilhoso, mas que poderia lhe levar para a fogueira, já que por bem menos, outras mulheres havia sido queimadas pela Santa Inquisição*. Poucas são as pessoas que sabem do dom de Eve, entre elas sua babá e quase mãe Morgana, a mulher responsável por sua criação, já que sua mãe havia morrido quando ela era um bebê. Nossa heroína vive em meio a vários personagens masculinos, que tentarão a todo custo tirar algo dela, seja para o bem ou para o mal. O pai, que não aceita o dom da filha, Hector, seu noivo e primo do rei, que merece o título de "vilão" como ninguém; seu amigo Albert, um mulherengo inveterado e melhor amigo da nossa heroína; Dorian, alguém que fará com que Eve entenda melhor seus dons, e é claro, Henry, o homem a quem nossa mocinha entregará seu coração. Apesar de ser um livro cheio de elementos sobrenaturais, o embate entre os direitos da mulher numa sociedade machista está bem presentes ao meu ver. Consegue-se notar a opressão a qual as mulheres estavam submetidas, o que me deixou com os nervos a flor da pele. O jeito que o pai de Eve a tratava; como seu "noivo" passa a tratá-la já como uma propriedade poucas horas depois da festa de noivado; o fato de Eve ser considerada "estranha" por não gostar do que a maioria das moças gostava... É claro que a gente vai percebendo isso ao logo da trama da Camila, que quis mostrar como alguém de espírito livre não precisaria estar fadado ao sofrimento, se resolvesse se libertar de fato do que a oprimia. Apesar de Eve mostrar fragilidade em vários momentos (leia-se o excesso de desmaios de sua parte...rs), ela conseguiu me conquistar por não ter o seu espírito dobrado. Ela é uma guerreira, sem sobra de dúvidas, que na minha opinião, merecia um segundo livro.

Elimar

* No século XVIII existem poucas notícias sobre mulheres queimadas na fogueira. A ação da Santa Inquisição no período estava bem enfraquecida nesse sentido, visto que a Europa passava pela Reforma Protestante, o que obrigou a Igreja Católica a passar por algumas reformulações. Lembrando que a Inquisição nunca deixou de agir, mas não tenho fontes que me digam que alguma mulher tenha morrido na fogueira no período retratado pela autora. Considero nesse caso, uma licença poética da autora.



10 comentários:

  1. Já imaginava que o livro fosse bom, a capa é linda.
    Gostei da resenha, fiquei interessada em o ler.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Este livro está recebendo vários elogios pela blogsfera, mas eu confesso que não estava animada para ler...Bom, não estava, porque depois de ler sua resenha, fiquei muito interessada... Agora é esperar a oportunidade e o dindim e comprar o meu para conferir...
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela publicação.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  4. Estou de olho nesse livro, e gostei muito de sua resenha Eli. Principalmente o dado histórico que você aclarou, acho legal a "licença poética", porém em fatos históricos, acho necessário ficar claro os acontecimentos. Valeu !!!

    ResponderExcluir
  5. Elimar, eu amei a sua resenha. A Linhagem é meu proximo livro a ser lido, Camila Dornas é uma fofa. Depois te conto o que achei do livro. A capa, que é o que me chama mais atenção, é perfeita e lindíssima. bjoks
    Eykler

    www.aghridoce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Caraca! Capa linda! E sua resenha me fez ficar com água na boca!!! É, vai para a lista!

    ResponderExcluir
  7. Falou tudo elimar.. claro que meceria um segundo livro e com Dorian.. sinceramente eu não gostei muito do henry..
    Beijos mila

    ResponderExcluir
  8. Ola, não conhecia este livro. Mas pela sua resenha ele deve ser otimo, muito do que vc citou, me fez gostar mais do livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu recebi o livro da querida Camila,mas ainda não consegui lê-lo e cada vez que leio uma resenha vejo que estou perdendo tempo e que percebo que vou gostar demais.

    ResponderExcluir
  10. Vou ir a falência com esses autores nacionais kkkkk

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords