[Resenha] Extraordinário: R.J. Palacio!



Sinopse:

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

 Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Comentários:

Quem é professora como eu, sabe o quanto somos instruídas a não se deixar envolver com questões pessoais dos nossos alunos. Todos os dias somos confrontadas com situações que deixariam muitas pessoas abaladas, para dizer o mínimo. São histórias de vida duras demais para pessoas que ainda nem chegaram aos 15 anos, e que fazem até mesmo profissionais de 30 anos de profissão se questionarem se ainda vale a pena continuar, ou se a escolha que fizeram anos atrás foi a melhor para as suas vidas. A todo momento em que lia "Extraordinário", fiquei me colocando no lugar de de August. Como seria viver do jeito que ele vivia, sendo obrigado a passar por cirurgias para tentar corrigir uma deformidade genética, que o impedia de ir a escola ou fazer o que qualquer criança comum faria. Quando completa 10 anos, os pais de August decidem que já é a hora dele ir a uma escola de verdade, ao invés de ter aulas com a mãe. August aceita o desafio, e parte rumo ao desconhecido (a frase é clichê, mas é exatamente isso que acontece com ele). Logo de início nosso pequeno herói (ele merece o título) é apresentado a três personagens, que mostrarão a August que o mundo pode ser muito cruel, mas também muito bom. O livro tem seis narradores e possui capítulos bem curtos, o que torna a leitura muito rápida (li em menos de um dia). O que se percebe nesse livro é o tamanho da coragem de August. Ele não quer nada demais. A única coisa que ele busca é ser normal. Querer ser tratado como um menino qualquer não costuma ser o desejo das crianças e dos adolescentes. Todos queremos ser especiais, seja por nossa inteligência, por nosso senso de humor ou nossa descrição. São essas as qualidades que nos diferenciam dos outros, nos deixando sempre em evidência, nem que seja de maneira bem discreta. O desejo do personagem me tocou enormemente. Ele é um bom menino, que ama a família, mas que tem que conviver com algo que não escolheu. 

— Por que eu tenho que ser tão feio, mamãe? — murmurei.
— Não, querido, você não é...
— Eu sei que sou.


Em vários momentos fui obrigada a parar de ler o livro, porque não conseguia mais enxergar. Eu chorei copiosamente nesse trecho. Um menino de 10 anos ainda é jovem demais para entender como crianças e adultos podem ser tão cruéis, mesmo não tendo essa intenção. Mesmo sendo Auggie o personagem principal dessa trama, os outros cinco narradores nos mostram perspectivas interessantes sobre tudo. Claro que a parte narrada por ele foi a que mais gostei, mas a amiga da irmã de August também não ficou para trás. Acho que a adolescente desajeitada que fui se identificou com o "abandono" sofrido por Miranda (vocês têm que ler para entender do que se trata). Em tempos de bulling, esse livro é uma lição de vida, porque Auggie prova que ficar triste é algo que acontece com todo o mundo. Viver em sofrimento, é opcional.

Elimar

10 comentários:

  1. Ai Elimar, que resenha lindaaaaaaaaaaaaaaa!!!! Adorei! Gosto de livros assim, porque justamente sempre nos indentificamos com algum personagem. E sempre nos fazem pensar e questionar, seja o mundo ou nossas atitudes, isso é muito bom. Gostei do livro. Pela capa simples nunca me chamou a atenção e foi um erro, porque esconde uma história linda!

    ResponderExcluir
  2. Não sei se estou em um bom humor para um livro tão profundo assim... no momento quero baboseiras e romances fofos.
    Mas tenho certeza que deve se tratar de uma lição de vida.
    Parabéns pela ótima resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li este livro e pela sua resenha, dá pra ver bem a profundidade do tema.
    Já dei aula por anos e sei o quão difícil é não se envolver com as histórias de vida dos alunos. Algumas vezes a gente quer pegá-los no colo e levar pra casa.
    É um livro que lerei, mas já sei que preciso estar preparada psicologicamente pra isso.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa resenha amiga. Eu também não dava nada por este livro, mas já é a segunda resenha super positiva que leio sobre ele. Eu até gosto de livros assim, mas acho que tenho que esperar estar em um melhor momento para ler. Ultimamente, livros com grande carga emocional estão sendo evitados por mim. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Eli, este foi o último livro que recebi da parceria da Intrínseca, foi uma cortesia especial que não era preciso ler e sim divulgar. Só agora a poucos dias comecei a lê-lo e desde o primeiro momento adorei. Não sou tão emotiva pra livros como você ,mas este livro é comovente. Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  6. Oi Elimar,
    Que resenha maravilhosa que você fez, deu para sentir nas suas palavras a sua emoção ao fazer a resenha desse livro.
    Ainda não li essa história e estou querendo muito ler ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
  7. Eu acredito que existem livros que aparecem em determinadas fases da sua vida para te ensinarem ou te fazer "ver" alguma coisa,e depois de ler essa resenha emocionante só posso acreditar que esse é um deles....Sua emoção ao resenhar ficou tão explícita que acho que a narrativa é daquelas que te transforma para avida toda,ou pelo menos deixam algo em você.

    Preciso ler esse livro.

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir

  8. olá. Parabens pelo blog. está excelente.

    Boas leituras.

    http://silenciosquefalam.blogspot.pt/
    http://www.facebook.com/silenciosquefalam

    ResponderExcluir
  9. Já tinha ficado encantada com este livro, só pela capa
    e sinopse, mas depois que li sua resenha. Realmente
    deve ser muito lindo a historia. Adorei a resenha
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Amiga, sua resenha está maravilhosa!!!
    Eu fiquei doida de vontade de ler este livro..
    Quero conhecer a história de Auggie e os outros 5 personagens que narram...

    Acho que todos devem ler, e até ser lido para uma criança, pq as crianças podem ser cruéis sim, mais elas tem que se colocar no lugar dos outros também..

    beijos Mila

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords