Semana de Resenhas Record #2: Menina de Vinte: Sophie Kinsella!


Sinopse:

 Lara Lington sempre teve uma imaginação fértil. Agora ela começa a se perguntar se está ficando maluca de vez. Meninas normais de vinte poucos anos não veem fantasmas, né? Pelo menos era o que ela pensava até o espírito da tia-avó Sadie, que foi uma jovem dançarina de Charleston com ideias avançadas sobre moda e amor, aparecer misteriosamente com um último pedido: Lara precisa localizar um colar que foi dela por mais de 75 anos. Só assim tia Sadie poderá descansar em paz. Além de encontrar a joia, Lara tem que lidar com probleminhas do dia a dia: a sócia foi curtir um romance em Goa, sua empresa está afundando e ela acabou de ser abandonada pelo homem “perfeito”. Nesta divertida história, Lara e Sadie são duas meninas de vinte bem diferentes que vão aprender a importância dos laços familiares e da amizade.

Comentários:

Não gosto de começar texto nenhum com "eu acho". Isso graças a uma professora de Língua Portuguesa que eu tinha, super rígida, que me ensinou que ninguém quer saber a minha opinião numa dissertação (Cada patada que eu levava... rs). Mas vou abrir uma exceção nessa resenha (perdão dona Erli). Eu acho que os psiquiatras e psicólogos deveriam recomendar os livros da Sophie Kinsella contra depressão e tristeza crônica. As situações que ela cria para nos fazer rir, vale cada centavo que gastamos comprando seus livros. A gente economiza em remédios, em consultas e em terapia, além de liberar nossas frustrações e tristezas rindo a valer com as confusões e peripécias de suas personagens. Em "Menina de Vinte" conseguimos ver porque Sophie Kinsella se tornou a Rainha do Chick-lit. Lara Lington é a doidinha da vez. Misturando com maestria comédia e tragédia - algo que só um escritor muito habilidoso consegue fazer, sem causar espanto ou ojeriza - Sophie te leva à gargalhadas estridentes, e também à lágrimas sinceras. Ao falar com o fantasma da avó recém falecida, que morrera aos 105 num asilo, Lara precisa lidar com o sentimento de culpa por nunca ter participado da vida dessa velhinha aloprada, que não sossegará até ter o seu colar de volta (a gente fica se perguntando que raios de colar é esse Meu Deus!). O grande foco de "Menina de vinte" é fazer você olhar para determinadas situações da sua vida que você não quer que venha a tona. Sua avó Sadie, a tal "Menina de vinte" se torna o alter-ego de Lara, ou fada-madrinha, para as mais românticas. Ela consegue olhar para dentro da neta, e fazer com que ela aproveite mais  vida, mesmo que ela não perceba isso no primeiro instante. Para os mais desavisados, pode ser que a "jovem fantasma Sadie" esteja querendo reviver os seus momentos de menina através de Lara, mas não foi o que senti. Ao aparecer para a neta de vinte e poucos anos, Sadie traz consigo muita confusão, mas também faz com Lara perceba coisas que nunca perceberia sozinha. Apesar do foco ser nos fazer rir a valer, Sophie também consegue fazer algumas críticas no seu livro. O alvo foram os livros de auto-ajuda e as palestras motivacionais, que ao invés de te ajudar de verdade, acabam criando um mando de rôbos, que sai acreditando que a recuperação é algo super fácil, e que "só depende de você". Quem chega a algum lugar se a ajuda do próximo? Praticamente ninguém! Sadie e Lara se tornam uma dupla improvável em meio as dificuldades da vida moderna. Se você quer rir e chorar, mas sempre na medida certa, ler "Menina de vinte" vai ser o maior acerto do dia!


Essa resenha faz parte do Projeto "Semana de Resenhas Record", e tem como blogs participantes os abaixo relacionados:

Alquimia dos Romances (dessa que vos fala)
Agridoce
Apaixonadas por Livros
Daily of Books Mila

Beijos e até a resenha de amanhã!

Elimar

8 comentários:

  1. Eli, super resenha e eu acho que vc mandou muito bem hehe
    Quem ta precisando dos livros da autora é minha mãe rsrs
    Isso é pq ela ta fazendo terapia, ta aí, vou comprar para ler e de quebra vou dar pra minha mãe ler..
    Adorei a dica e adorei muitoooo sua resenha ^^

    beijos Mila

    ResponderExcluir
  2. Elimar, concordo totalmente com você! Não tem terapia melhor que ler os livros da Sophie Kinsella... Eu já li uns três livros dela e pretendo ler todos se Deus Quiser... kkkk
    Sua resenha está na medida certa, nos deixando curiosas para conferir logo este livro... Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. oi Eli, mais uma resenha legal desta semana. Como venho dizendo estou em falta com os livros da Sophia Kinsella, só tenho um que estou doida pra ler e acabei n~]ao conseguido. Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  4. Oi Elimar! Eu acho, rsrs, que você deveria dar mais sua opinião sobre os livro. De fato um livro é a melhora terapia que existe. Dinheiro gasto em livro, não é gasto. É investimento em nossa sanidade mental. e por falar nisso, farei essa terapia, lerei os livros da Sophie. Adorei a sua resenha. bju
    Eykler

    ResponderExcluir
  5. Eu concordo com você,parcialmente quanto a receitar os livros de Sophie Kinsella para depressão,porque o último livro li por indicação de uma amiga e para me livrar mesmo da tristeza e foi bom demais... agora depois de ler essa resenha vou ficar louca para ler Menina de Vinte,que já foi mega recomendado por amigas e blogueiras e depois da sua resenha virou leitura obrigatória.

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Esse livro esteve nas minhas mãos por várias vezes, mas nunca cheguei a lê-lo.
    Se você diz que é assim tão bom e engraçado, é disso que estou precisando! Hahahaha

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Outro livro que eu ganhei de amigo oculto. E foi a Elimar que me tirou. É o meu preferido. Ri demais! E chorei, também. Muito bom!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler este livro, mas toda vez na hora de comprar
    ou ele esta caro, ou deixo de lado.
    Fiquei com mas vontade agora depois de ler sua resenha,
    ameii.
    bjs

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords