[Resenha] A Probabilidade Estatística do Amor à primera vista: Jennifer E. Smith


Sinopse:

Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Comentários:

Já estou devendo essa resenha já faz um bom tempo. Deixei ele aqui na minha frente, com algumas marcações e anotações, para fazer uma resenha legal, mas o tempo foi passando, outros livros na frente, e a resenha acabou ficando para trás. Mas como sou uma entusiasta de livros para adolescentes, vi duas alunas falando sobre ele, então... Eis me aqui, finalmente. O livro é uma graça. Consigo admitir isso, mesmo que ele não tenha sido escrito para mim. Como assim? Poxa gente... Eu tenho 31 anos. Um livro sobre amor adolescente não foi escrito para mim. Mesmo achando uma fofura a estória de Hadley e Oliver, não conseguir sentir qualquer ligação com os dois. Eles vivem momentos próprios de suas idades, e o "amor" que passam a sentir um pelo outro, vem muito do momento em que ambos estão passado. Não pensem que se trata de mais um romance teen com amores impossíveis, ou algum elemento sobrenatural que pode vir a separar os dois. Longe disso. Aqui, dramas familiares estão muito presentes, e são tão próximos da realidade que vários dos meus alunos passam, que achei a leitura bem palpável para os dias de hoje. Para alguns, Hadley poderá passar de infantil, ao ter uma visão tão restrita e manhosa do pai e de seu novo casamento, mas consegui compreendê-la totalmente. Descobrir que seus pais não vão viver nunca mais juntos, não é algo fácil de digerir, principalmente na adolescência, quando tudo é tão confuso nas nossas mentes. São muitas mudanças pelas quais passamos, e na maioria das vezes, não temos poder sob nenhuma delas. Hadley está indo para Londres, obrigada pela mãe, para participar do casamento do pai. Ao chegar quatro minutos atrasada, ela perde o vôo, o que a obriga a esperar o próximo. É nesse momento que ela conhece Oliver, um rapaz britânico, com quem ela passará as próximas sete horas, conversando, se conhecendo, e criando uma conexão quase mítica (para todo adolescente, é uma conexão quase mítica). Narrado em 3ª pessoa, o livro trás a tona momentos da vida de Hadley, que a fazem refletir sobre o relacionamento com o pai. O livro na verdade é uma grande lição sobre relacionamentos, e de como acabamos criando determinados julgamentos, que na maioria das vezes, não condizem com a verdade. Ou melhor, com a nossa verdade. O livro todo se passa em 24 horas, com alguns flashbacks, o que deixa a trama mais elucidativa para o leitor. As leitoras vão conseguir se apaixonar por Oliver, somente através do olhar de Hadley, que vê nesse jovem rapaz britânico um sopro de frescor, surgido apenas para ela. Se você tem 17 anos ou algo próximo disso, esse romance é para você. Mas se você é alguém como eu, que já passou dessa fase, o livro pode parecer "bobo", mas não sem qualidade. Se você quiser se arriscar, com certeza não vai haver desapontamentos. Talvez a mesma sensação que eu mesma tive: livro fofo e romântico, mas não feito para mim!

Elimar

8 comentários:


  1. Estou muito querendo ler este livro e já soube que vai virar filme no próximo ano. Bom eu leio YA, porque trabalho com adolescentes e sempre é uma que se pode recomendar. Gostei da resenha Eli.

    ResponderExcluir
  2. Oi Elimar, sábias palavras de sua resenha, fiquei com vontade de ler o livro, e olha que tb não sou nenhuma adolescente, mais eu amo estas histórias hehe

    Beijos Mila

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Confesso que eu não sou muito desse tipo de livro, acho que nem quando era adolescente, fui mais daquelas de ler suspense e policial.
    Mas pelo que percebi passa uma mensagem legal para os adolescentes neh, convenhamos que eles tão precisando kkkkkk


    bjosss

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que passaria reto deste livro, sabe?
    Ando interessada em uma coisa mais madura, mesmo que seja um New Adult, mas que tenha um drama... algo menos "fofo".

    ótima resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu adorei sua resenha Elimar. Sincera e nos mostrando exatamente o que esperar desta leitura. Não sei se leria este livro, pelo menos neste momento. Estou numa vibe de livros mais adultos e tal. Mas, quem sabe uma hora destas pego para conferir? bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei de saber que ele fala sobre relacionamentos e como acabamos fazendo julgamentos (e acreditando neles)!

    Tem sorteio no blog, apareça: http://umamamaeemapuros.blogspot.com.br/2013/06/primeiro-sorteio-do-blog-pantufa.html

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é muitooo fofo.
    Quero muito lê-lo. Adoro livros
    assim, fico só imaginando hahah.
    bjs

    http://loveebookss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu amei esse livro,a história é muito bem contada e me apaixonei pelos personagens mesmo eles sendo adolescentes,acho que os encontros e desencontros dos relacionamentos abordados no livro valem para todas as idades.

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords