[Resenha] Dois Destinos: Margareth Moore!

 

Sinopse - Dois Destinos - Harlequin Históricos, 67 - A lover's kiss - Margaret Moore

Espião durante as Guerras Napoleônicas, sir Douglas Drury é um homem marcado pela desconfiança. De seu terrível passado, ele ainda carrega cicatrizes e inimigos. Ao ser emboscado em uma ruela de Londres, sir Douglas é inesperadamente salvo da morte certa. Contudo, logo sua gratidão se transforma em desapontamento. Sua vida foi salva por uma mulher... e francesa!
Juliette Bergerine sempre procurou ser discreta. Mesmo assim, sua vida está em perigo. E agora, ela e Drury precisam buscar refúgio em uma mansão em Mayfair. Uma vez lá, a convivência forçada acaba por transformar o antagonismo inicial em um inesperado fascínio... e uma irresistível atração.

Comentários:

Quem é diva nunca perde o rebolado... Por isso que para a bonitona aqui, ler um livro de Margareth Moore sempre é satisfação garantida. Sei que algumas amigas irão discordar comigo, mas para mim, suas tramas sempre conseguem emocionar, mesmo quando ela coloca em evidência clichês tão comuns nos romances históricos. O diferencial em "Dois Destinos" foi falar do rancor entre franceses e ingleses, nascido durante a Idade Média, e reforçado por rivalidades cíclicas na História de ambas as nações. Douglas Drury é um homem marcado pela guerra. Após sofrer torturas terríveis nas mãos dos franceses e perder a firmeza das mãos, nosso herói nutre um ódio ferrenho por toda uma nação, culpando qualquer francês que encontra pelo seu infortúnio. Juliette é uma moça de vinte anos que trabalha como costureira, e luta para reencontrar seu irmão, que havia ido embora da França, deixando-a nas mãos de um fazendeiro bêbado, que desejava abusar dela. Ao fugir de seu perseguidor, Juliette começa sua dura jornada em busca do irmão, trabalhando como costureira de uma famosa modista "grega". Vivendo em um quarto paupérrimo e com pouca coisa para chamar de sua, ela acaba presenciando de seu quarto uma grave agressão a Drury, e acaba por salvá-lo. A partir dessa ajuda, nossa heroína será jogada dentro de uma realidade completamente diferente da sua, o que a colocará em apuros. Sem saída, ela busca ajuda do inglês mal-agradecido e turrão, pois ela atribuiu a ele o perigo que corria naquele momento. Juliette mantém sua dignidade intacta, e consegue se sair bem nos embates que tem com Drury, que não admite nem mesmo para si que sente algo a mais pela jovem francesinha. O que eles nem desconfiam é que existe uma ligação que os une, que deixará ambos com o coração partido, e colocará os sentimentos recém descobertos a prova. 

Como nos romances, coincidência pouca é bobagem, os dois já possuem uma ligação sem saber, o que conseguiu me surpreender, mas nem tanto assim. Achei que ela amarrou as coisas muito depressa perto do final, que me deixou a sensação de que ela podia ter segurado mais as pontas. Mas nem por isso desgostei do livro. O que me deixou "chateada" foi perceber que ele faz parte de uma série. Isso fica evidente pelas conversas dos amigos de Drury, que foi o casal protagonista de outro livro. Agora só me resta sofrer e sair perguntando para as amigas se alguém sabe que livro é esse. 

Elimar


P.S.: Capa de "Dois Destinos" versão Harlequin Books do Brasil!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords