[Resenha] O Amor mora ao Lado: Debbie Macomber!


Sinopse:

Lacey Lancaster sempre quis ser esposa e mãe. No entanto, depois de um divórcio bastante doloroso, ela decide que é hora de dar um tempo em seus sonhos e seguir sozinha mesmo. Mas não tão sozinha: sua gatinha abissínia, Cléo, torna-se sua companhia de todas as horas. Até é uma vida boa — um pouco aguada, é verdade — a de Lacey. A não ser por seu escandaloso vizinho, Jack Walker. Quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão, pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes. Mas acontece que a primeira impressão nem sempre é a que fica...

 

Comentários:

 

Para aquelas que já conhecem o trabalho de Debbie Macomber, mais livro super fofo dela, que vai te fazer dar alguns sorrisos e passar boas horas de entretenimento. Mas não vai passar disso tá gente? Não espere um livro magistral, com cenas incríveis e pessoas com sentimentos a flor da pele. O romance é morno, quentinho, com uma protagonista fofa e um mocinho gracinha. A protagonista, Lacey Lancaster, acabou de sair de um casamento desastroso, onde o marido lhe fez promessas que não cumpriu. Depois de quase um ano de separação, ela ainda guarda péssimas lembranças dele, e por causa disso, não consegue ter um relacionamento. Ao se mudar para um prédio aconchegante em outra cidade, ela logo conhece seu vizinho lindo e charmoso, Jack Walker, um homem que vive as turras com a suposta namorada. As brigas são intensas, e Lacey tira algumas conclusões precipitadas sobre nosso herói, que logo serão esclarecidas. A aproximação dos dois se dará depois que Cão, o gato de Jack, resolver mostrar suas garrinhas para Cléo, a gatinha de Lacey. Eis que a gatinha fofa não resiste aos encantos do Cão, e acaba entregando sua virtude a ele, gerando muita revolta em Lacey, que vai exigir uma retratação por parte de Jack. Confesso que achei muita graça nessa parte. Ela indo até o "pai" de Cão, revoltada, já que Cléo ficara grávida, e tinha que ter o apoio do outro lado da família. 

 

Eis que os dois acabam se aproximando para resolver a situação e Lacey passa a conhecer um lado de Jack que ela nem imaginava que existia. E graças a essa situação inusitada, Lacey vai aprendendo que nem tudo é o que parece, e que Jack pode ser a resposta para a grande desilusão que o seu casamento foi, se ela resolver abrir o coração de verdade... 

 

O romance (que provavelmente foi publicado no formato "banca") tem seu mérito, que é de fazer com que passemos horas agradáveis ao lê-lo. Jack é um charme, daqueles que a gente fica com um sorriso bobo nos lábios. Lacey é valente e corajosa, além de ter um coração imenso. Ao se deixar envolver com Jack, nossa heroína vai ganhando força para mudar algumas coisas em sua vida, o que me deixou bem feliz por ela não ser mais uma mala sem alça na literatura romântica. 

 

Na minha humilde opinião, Debbie Macomber tem outros romances com mais "sustância", mas esse vale para uma tarde monótona. Leia e confira!

 

Elimar Souza

Um comentário:

  1. O livro é fofo, mas não é lá essas coisas. Por algum motivo não me senti atraído por ele, a não ser pela quantidade mínima de páginas. Estava num período que queria ler coisas pequenas e então li, mas não é tão bom assim. Não é nada demais para falar a verdade. Só é fofo. - Felipe (A Hora do Livro).

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords