[Resenha] Sobre aquele homem - Sherryl Woods

SINOPSE: Como pode a filha de um dos patriarcas de Trinity Harbor acolher um menor transgressor pego ao tentar fazer uma ligação direta em seu carro? Daisy não se importa com o alvoroço da cidade. Cuidar desse órfão de 10 anos é uma tarefa fácil, além de ser uma forma de passar menos tempo se lembrando de seu passado trágico. Difícil é ter que lidar com… aquele homem. Aquele homem, o tio do menino, é Walker Ames, um policial para quemo sobrinho recém-descoberto é a chance de redenção.Walker passa a frequentar Trinity, e todos acham que ele está seduzindo Daisy! Afinal, a professora da escola dominical é uma combinação perturbadora de inocência e atrevimento, em um lugar menos pacato do que parece…
ANTES DE COMEÇAR A RESENHA: Alguém que leu o livro poderia me explicar o motivo do título? Realmente não entendi o que tinha a ver com a história.

Comecemos então...

Vocês perceberam que ultimamente só venho resenhando livro da Harlequin né? A verdade é que estou com uma pilha enorme de livros deles aqui para ler e to querendo diminuir um pouco essa realidade desesperadora. Sabe de uma coisa? Alguns vem me surpreendendo positivamente!  

Sherryl Woods é uma autora que descobri há pouco tempo, mas que, lentamente, vem conseguindo ganhar um espaço legal na minha lista de top autores. Sua narrativa é fácil, leve e gostosa, quase como estar em casa. Em “Sobre aquele homem”, ela dá início á uma trilogia que tem como plano de fundo a pacata cidade Trinity Harbor, e isso tornou a leitura ainda mais agradável, porque todo mundo tem aquele lugarzinho que gosta de viajar para sentir um pouco de paz nas férias e foi exatamente isso que essa cidade fictícia me lembrou. Durante o desenrolar da história, senti vontade de conhecer a região e cada um dos personagens tão bem caracterizados pela autora.

O enredo gira em torno de Daisy, uma professora solteira, filha de King Spencer, um homem de grande influência na cidade, e o burburinho resultante da decisão dela em abrigar um órfão que perdera a mãe a pouquíssimo tempo. Tommy foi o único personagem que não me agradou, parece que a autora tem um peculiar talento para criar crianças chatas e irritantes.  O alvoroço em Trinity Harbor aumenta quando Walker Ames aparece para conhecer o sobrinho recém-descoberto e começa a se relacionar, amigavelmente, com Daisy. Vocês sabem que em cidade pequena a fofoca rola solta e por lá a coisa não foi diferente.

Tudo é desenvolvido lentamente e de forma natural e, além do relacionamento familiar, existe um pequeno mistério relacionado á prováveis drogas que estão sendo infiltradas na cidade. Devo dizer que King é um pai extremamente protetor e irritante para os filhos, o que me tirou algumas gargalhadas. Para quem gosta de uma história retilínea e sem grandes reviravoltas para ser lida em uma tarde chuvosa, esse livro é uma boa pedida. Espero, de verdade, que a Harlequin publique(O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL) a continuação, e na ordem certa, dessa trilogia.
Foi um bom entretenimento e estou ansioso para ler as histórias dos irmãos divertidos de Daisy e as trapalhadas de King Spencer.

NOTA: 3.5
PS: A RESENHA FICOU PEQUENA PORQUE CHOVEU HOJE NA MINHA CIDADE DO INTERIOR DO NORDESTE E COMO NÃO ESTOU ACOSTUMADO COM CHUVA, ACABEI FICANDO COM PREGUIÇA AGUDA COM ESSE TEMPO BOM.

                              Jhonatas Nilson

2 comentários:

  1. Livro de banca ou não, o q importa é a história valer a pena. Mas vc deu 3,5...mmmm fiquei com a pulga atrás da orelha.

    ResponderExcluir
  2. Adoro suas resenhas Jhon e a tirada sobre o lcima foi ótimo pra fechar! Kkkk
    Ultimamente venho dando mais atenção aos livros de banca e adorando ver o qto ainda tem histórias boas para se ler.... Mas n senti muito axé com esse aí não, por enquanto vou deixar passar...rsrsr
    Bjos

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords