[Resenha 2.0] Paixão sem limites - Abbi Glines

SINOPSE: Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.
RESENHA:
Não, esse post não é duplicado. É só a segunda resenha de um mesmo livro. Para ler a primeira, feita pela Elimar, clique aqui.
Eu comprei esse livro com certo temor, pois não é o tipo de leitura que costuma me agradar ou chamar a minha atenção. Confiei pura e simplesmente na opinião da maioria onde todos eram só elogios para a obra de Abbi Glines. Mesmo com as expectativas baixas, o livro ainda conseguiu me decepcionar.
Foi uma mistura tão grande de clichês que foi muito difícil para mim engolir, mas acredito que o ponto decisivo para o livro não ter me convencido de nenhuma forma foi  o fato de eu ter sentido, o tempo todo,  que estava lendo uma história baseada em “Cinquenta Tons de Cinza”. Foram tantas semelhanças que eu me pergunto se ninguém percebeu isso enquanto estava lendo por que a cotação no Skoob é altíssima e isso não entra de forma alguma na minha cabeça!

No início a Blaire, protagonista do livro, me pareceu uma coisa, mas aí, algumas páginas depois, se mostrou com uma personalidade completamente diferente. Tem tanta Anastasia Steele nessa garota que cheguei á conclusão que a Blaire leu a história da Ana e pensou “Vou ser igualzinha ela”

Tenho certeza que o Rush, o protagonista, também leu a trilogia “Cinquenta Tons” e pensou “Vou agir que nem o Sr. Gray para ver se pego mais mocinha virgem”. 

Quero dar os meus parabéns a Blaire e Rush, pois fizeram um bom dever de casa!

Até a fala de mocinho atormentado é parecida!

 “Eu não sou um cara romântico.(...)Eu só trepo, gata.” (Página 75)

Como não relembrar dessa fala do Sr. Gray?

“Eu não faço amor Ana, eu fodo com força.”

Uma coisa que conseguiu me segurar até o final foi querer saber o motivo de Rush agir de forma tão “Oi, eu preciso de um psicólogo” e até essa explicação foi insuficiente para mim. Juro que na minha cabeça ele iria confessar para a Blaire, no final, que era abusado por uma mulher mais velha, igualzinho como foi com o Gray. (São tantas “coincidências” que a gente acaba se acostumando, né?).

Ainda que com tantas críticas, tenho que congratular a autora Abbi Glines, porquê mesmo o livro dela sendo ruim eu o devorei em um dia! É daquelas histórias que apesar de fracas, você simplesmente lê até morrer(Como disse a Lucy). A escrita dela é gostosa e extremamente viciante e por isso vou ler a continuação, até por que ficou muita coisa em aberto que quero saber como termina.

Enfim, se você me perguntar se eu recomendo este livro, eu diria que sim, mas não vá com muita sede ao pote. Dessa forma, é possível até que você consiga se surpreender.


2/5
                                           Jhonatas Nilson

5 comentários:

  1. Com essa resenha você acabou de provocar o Talibã Rush kkkkkk.

    Realmente o livro não é ruim, mas também não é tudo isso que falam dele, talvez se a autora tivesse escrito um livro único do que dividido a história em três, acho que ficaria melhor...

    Vamos esperar o segundo...

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente gostei muito desse livro, gostei da história, e achei ele um POUCO parecido com Belo Desastre, mas livros sempre tem suas semelhanças e não gosto de ficar comparando muito, rs.
    leituramagnifica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha....
    Meu blog esta sorteando esse livro!
    confira participe
    http://tresleitoras.blogspot.com.br/2013/12/primeiro-sorteio-do-blog.html

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li o livro, mas quero muito ler. Parabéns pela resenha. Estou bem ansiosa para ler.
    Beijos

    www.viagem-imaginaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Jhonatas!
    Muito divertida a resenha, adorei saber sua opinião.
    Quando li o 1º capítulo disponibilizado pela Editora fiquei louca pra ler o livro, mas respirando fundo e percebendo que a história fazia parte de uma série, imaginei minha decepção ao final do 1º volume, como já aconteceu com outros livros (como 50 tons), onde fiquei tão furiosa com o final que nem consegui ler a continuação, quando esta saiu. Então talvez eu leia Abbi Glines, mas só quando todos os livros forem lançados. E como você disse, sem expectativas de um ótimo enredo, mas de uma boa distração ;)
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords