[Resenha] Bruxos e Bruxas: James Patterson e Gabrielle Charbonnet #1




Sinopse - Bruxos e Bruxas - Bruxos e Bruxas - Livro 01

Em pleno século XXI, os irmãos Allgood, With e Whisty são arrancados de sua casa no meio da noite e jogados na prisão, acusados de bruxaria. Vários outros jovens como eles foram sequestrados, presos e outros desapareceram. Tudo isso acontece porque o mundo foi comandado por um novo governo "Nova Ordem", que acredita que todos os menores de dezoito anos são suspeitos e que praticam bruxaria. Quem comanda a N.O é O Único Que É O Único, e seu objetivo é tirar tudo que faz parte da vida de um adolescente normal, livros, música, arte, comandar o mundo e desvendar todos os segredos da magia. Qualquer forma de protesto contra a N.O será punida com muita rigidez e tortura, até que a pessoa possa completar dezoito anos, e assim ser condenado a morte. A missão dos irmãos Allgood é livrar o mundo desse novo regime e resgatar seus pais desaparecidos. Mas será que eles conseguirão enfrentar a Nova Ordem, salvar todos dessa tortura e encontrar seus pais?

Comentários:

O livro conta a história dos irmãos Allgood, que levam uma vida normal e, de um dia para o outro, têm suas vidas reviradas de cabeça para baixo, acusados de bruxaria por um novo governo chamado Nova Ordem, que é comandado pelo Único Que É Único e sua crença de que apenas ele pode "purificar" o mundo bagunçado em que eles viviam. Tudo que eles acreditavam ser ruim, não poderia nem chegar aos pés das coisas que eles passariam a partir da noite em que o exército da Nova Ordem invade a casa deles, levando-os de seus pais. A leitura foi um pouco confusa, porque o livro é narrado por Whit e Whisty e ambos sabem tanto sobre o que está acontecendo quanto o leitor; nada explicativo. O leitor vai acompanhando os fatos, sem entender nada muito bem, sedento por mais informações. A história acontece realmente rápido, sem dar tempo de assimilar que dois adolescentes estão sendo acusados de bruxaria em pleno século XXI. E é aí que James Patterson me impressionou muito. Ele, mesmo com o ritmo acelerado que o livro leva, consegue explicar as coisas de acordo com o entendimento dos personagens. De início, foi bem ruim ler algo que não se tem o conhecimento, mas a cada capítulo as informações vão chegando e esclarecendo os fatos tanto quanto me deixando viciada na obra. Ver o ponto de vista de Whisty foi bem mais agradável. Não por ela ser uma menina, mas por ela estar entendendo melhor as coisas, mesmo com toda a luta para a sobrevivência, enquanto seu irmão, Whit, é muito mais preocupado, por ser mais velho, e bem mais desesperado também. Inicialmente, tudo pareceu muito surreal, mas acompanhar o papel que os dois irmãos têm no mundo caótico, e considerando "perfeito", construído pela Nova Ordem foi emocionante. Na verdade, todos os personagens têm sua devida importância e foram muito bem construídos por James Patterson. A narrativa fluiu bem, apesar dos problemas de entendimento do início do livro. Mas dividir o livro em mais de cem capítulos foi um pouco desnecessário. Um deles narrava o livro por três páginas, em alguns capítulos, e, quando eu estava começando a entender o ponto de vista do personagem, o capítulo acabava. Isso incomodou bastante, mesmo que eu tenha me acostumado quando já estava bem envolvida na trama. O livro realmente me impressionou, porque eu não acreditei que uma história fosse tão irreal fosse boa e fiquei decepcionada com o início. Porém, ao ler mais, eu vi que não conseguia mais desgrudar do livro. James merece uma salva de palmas, pois, mesmo com coisas que me desagradaram, fez uma das melhores fantasias que li.


Quer prestigiar a Clara? Siga o seu blog, Treze para meia noite,  clicando aqui! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords