[Resenha] O Dom: James Patterson & Ned Rust #2

 

 

Sinopse - O Dom - Bruxos e Bruxas - Livro 02 - James Patterson, Ned Rust

Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô  — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo  pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.

Comentários:

Uma salva de palmas para uma das melhores continuações, perdendo apenas para o segundo livro de A guerra dos Fae! O Dom, segundo livro da série Bruxos e Bruxas, continua a história dos irmãos Allgood, em um mundo tomado pela Nova Ordem. Mas, agora estão um pouco mais "fracos", pois estão sem amigos e seus pais para ajudá-los, pois provavelmente estão mortos. Então, para buscar um pouco de felicidade no mundo cruel em que vivem, e Wisty decide ir a um concerto de rock, organizado pela Resistência. O problema é que, quando se trata de bruxos e bruxas, nada é apenas o que parece. Wisty acaba cruzando com um garoto que lhe chama atenção. E, até as mínimas coisas como uma paixonite, podem sofrer uma reviravolta, o que acontece com os irmãos. A retomada da história não foi muito boa. Muitas coisas ficaram meio perdidas no livro anterior, porque eu já não lembrava de muita coisa e o livro também não relembrou. Isso deixou as coisas um pouco vagas, mas nada que interferisse muito na leitura. Essa sequência, assim como o primeiro, é narrado por Wisty e Whit. Mas, algumas vezes, a narrativa é em terceira pessoa, sem se vincular aos pensamentos de nenhum dos dois. Foi bem legal, porque eu já comecei a me acostumar com os dois narrando o livro e isso ampliou o meu conhecimento sobre o que se passava na história. Sem dúvidas, melhor que o primeiro livro. Bruxos e Bruxas foi bom, mas um pouco desanimador, enquanto O Dom me fez ter vontade nunca mais parar de ler a saga. Fez-me gostar de personagens que eu odiava e passar a não gostar de alguns que eu considerava bem legais, surpreendendo-me a cada página. É um livro de tirar o fôlego e eu super recomendo para quem gosta de fantasia, aventura e romance.

Para ler a resenha de "Bruxos & Bruxas", escrita pela Clara, clique aqui! :)

Clique aqui e adcione "O Dom" a sua estante do Skoob! 

Clara Emanuelly

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords