[Resenha] Kitty: Elle S.


Sinopse:

Kitty é uma gata sarcástica e cheia de mistérios que aprendeu a viver nas ruas há mais de quatrocentos anos. Independente e esperta, ela foge de qualquer contato humano, já que deixar-se ser adotada é o seu pior pesadelo. O grande medo dessa felina é que alguém desperte dentro dela o seu maior segredo.
Vivendo nos becos da cidade de São Paulo, Kitty conquista o coração de Eduardo e, contra sua vontade, vira um animal de estimação. Tudo o que essa gata não queria que acontecesse.
Entre as diversas tentativas de fuga, ela se vê cercada de afeto e carinho pelo seu novo dono e começa a ser cativada. Então, é Eduardo, seu dono ruivo e charmoso, que desperta o que Kitty tem de pior. Quando ele deseja que sua amada amiga de estimação seja mais do que ela realmente é, a gata precisa correr contra seu próprio instinto. Ser quem ela foi condenada a ser, ou viver como quem ela verdadeiramente é? Dividida entre duas espécies, Kitty precisa decidir o destino de sua vida para viver um grande romance.



Comentários:

Vou ter que confessar que minha principal motivação para ler Kitty foi essa capa incrível que a Editora Arwen fez. A sinopse (muito bem construída, só para fazer uma pequena observação), me levou a querer conhecer um pouco mais sobre essa tal gata sarcástica. Não sei se já disse a vocês, mas amo personagens sarcásticos, que demonstram uma evidente inteligência e um humor aguçado e irônico, só para nos deixar com água na boca. Kitty é assim. Uma personagem que de longe consegue nossa simpatia.O engraçado dessa história é que, depois de me habituar com protagonistas tão sem graça, Kitty acabou se tornando um sopro de ar fresco. Ela é uma gata. Isso a gente já sabe. Mas acompanhar seus pensamentos mais profundos, como também as tiradas mais sensacionais vindas dessa gata de rua linda e altiva, que se vê presa a um dono que não procurou, mas que a quer de todas as formas possíveis.
Narrado todo sob o ponto de vista de Kitty, essa gata malandra e altiva, Elle S. consegue algo complicado de se conseguir entre os leitores de entretenimento brasileiro: tornar a história crível e atraente, com o elemento sobrenatural bem dosado, em meio a cidade de São Paulo. Aliás, como filha de paulista, devo dizer que o pano de fundo está perfeito. A autora sobre mostrar Kitty pelas ruas de Sampa sem forçar a barra em nenhum momento, fazendo com que a gente quisesse encontrar a gatinha pelos becos e vielas da cidade.
Para mim, como fã moderada do elemento fantástico, o livro tem essa pitada de sobrenatural, carregado de humor e romance, que fizeram toda diferença para mim, assim como vai fazer para vocês também. A autora nos conduz direitinho para o coração de Kitty, que precisa guardar bem seu segredo, pois teme se machucar novamente.Durante toda a trama, somos parceiros de Kitty, que mesmo tendo uma grande cumplicidade com os leitores, deixa apenas para o final da trama nos contar o que a tornou uma gata. Minha crítica fica única e exclusivamente para Duda, o personagem que tem o privilégio de ter o coração de Kitty. Algumas atitudes dele me deixaram realmente "P" da vida. Mas em meio a situação de toda a história, até dá para entender porque ele era daquela maneira. As fãs de romance vão achar o livro uma graça, capaz de fazer os corações mais duros palpitar de forma irrevogável. Para quem gosta de um elemento sobrenatural, dando aquele ar de contos de fadas, Kitty vem como um vento fresco, modernizando o tão adorado "Felizes Para Sempre"!
Se eu recomendo? Mil vezes SIM!




Clique aqui e adicione "Kitty" a sua estante do Skoob!

Beijos e até a próxima!

Elimar Souza

Um comentário:

  1. Em primeiro lugar, eu preciso dizer que eu estou completamente apaixonada pela capa desse livro, é linda demais. Além disso, o enredo é super interessante, eu adoraria ler!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords