[Resenha] Almanegra: Jodi Meadows / Trilogia Incarnate 2

Sinopse:

Ana sempre foi a única. Marginalizada. Apartada. E, para piorar, após o Escurecimento do Templo causado por seu pai, vários cidadãos de Heart a culpam pela perda definitiva de algumas almas, as almasnegras — e pelas almasnovas que nascerão em seu lugar. SOMBRAS Muitos temem a presença de Ana, um lembrete constante das mudanças irreversíveis. E quando as sílfides começam a se comportar de maneira diferente em relação a ela, Ana terá que aprender não apenas a se defender como àqueles que não podem fazer isso por si mesmos. AMOR Ana aprendeu desde cedo que os sem-alma não podem amar. Mas, e as almasnovas? Mais do que tudo, ela deseja ter a chance de viver e amar como qualquer outro cidadão de Heart, porém mesmo depois de Sam declarar seus mais profundos sentimentos, será que ela conseguirá superar uma vida inteira de rejeição e aceitar o amor? Almanegra explora a beleza e as profundezas sombrias da alma, numa história que é ao mesmo tempo um romance épico e uma fantasia cativante.

Comentários:

Enfim o segundo livro da Trilogia Incarnate chega ao Brasil. A espera nem foi tanta assim, mas a minha ansiedade estava nas alturas... Essa não tem limites, tenho que dizer. Eu nunca tinha ouvido falar sobre essa trilogia e sobre a autora antes da Valentina resolver publicar aqui no Brasil (desonra para mim e para a minha família... rs), então, eu comecei a ler totalmente no escuro, com uma expectativa zero do que poderia acontecer. Foi amor à primeira vista...
No segundo volume da Trilogia, a gente continua acompanhando a evolução de Ana, que passa de menina maltratada e retraída, para alguém que ganha força e determinação, rumo a uma vida nova. Mais uma vez somos levados pela narrativa incrível de Jodi, que ao meu ver, consegue nos prender ainda mais com esse livro do que com o primeiro. Como já conhecemos os personagens principais, e sabemos tudo que aconteceu com eles, a empatia é imediata. Sabemos de todo sofrimento de Ana e sua busca por aceitação, e vemos que tudo que ela faz acaba por levá-la rumo a uma vida nova e cheia de descobertas. Mesmo ainda estando confusa sobre o que pode ou não sentir, é notória a mudança de Ana! Mesmo com suas dúvidas e inseguranças, algo totalmente compreensível, já que sabemos como sua a mãe a criou de maneira "torta" por assim dizer, Ana consegue nos apresentar uma mistura de fragilidade e força impressionantes. Mesmo que em algum momento suas dúvidas possam nos deixar enervados, não tem como não compreendê-la. Suas dúvidas em entender se pode mesmo ou não amar. Seus anseios vão fazer você ficar com aquela angústia boa no estômago, onde a gente torce a cada momento para que ela consiga superar seu passado e descubra cada vez mais na sua jornada com Sam.
Sam continua acompanhando Ana e a cada página lida, percebe-se uma desenrolar do relacionamento deles, onde ele se mostra cada mais encantador, fazendo com que a gente deseje que ele exista de verdade e que possamos colocá-lo no colo. 
Uma coisa que eu notei de "diferente" desse livro para o primeiro é que a leitura me pareceu mais fluída e com mais agilidade. Tanto pode ser a evolução da própria Jodi Meadows quanto a minha ansiedade, já que eu terminei o primeiro livro com o coração na garganta. 
Mais um trabalho impecável da Editora Valentina. A tradução de Bruna Hartstein está incrível, o que provavelmente fez toda a diferença nessa leitura mais fluída da trama que citei acima. Com um final incrível e deixando o leitor mais uma vez com a pergunta que não quer calar (Quando sai o próximo?), "Almanegra" tem todos os elementos que vão fazer com que essa série entre para a sua lista de livros favoritos.

Clique aqui e adicione "Almanegra" a sua estante do Skoob!

Para saber o que eu achei do primeiro livro da Trilogia Incarnate, é só clicar aqui!

Beijos e até "Infinita"!

Elimar Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords