[Resenha]: Coroa Cruel - Victoria Aveyard

Título: Coroa Cruel

Autora: Victoria Aveyard

Editora: Seguinte (05 de Janeiro de 2016)

Ano: 2016

ISNB: 9788565765923

Idioma: Português

Páginas: 232





Sinopse:

"Duas mulheres — uma vermelha e uma prateada — contam sua história e revelam seus segredos. Em Canção da rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal — tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em Cicatrizes de aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta — e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho. Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de Espada de vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha. "


Olá gente!! Esse livro para quem não sabe é um livro de contos da série A Rainha Vermelha. Tem o conto Canção da Rainha e Cicatrizes de Aço, também vem um trecho de Espada de Vidro, o 2º volume da série e o mapa de Norta, reino que se passa a história do livro. Vou falar um pouquinho de cada conto separado. Enquanto em um temos o ponto de vista de uma prateada que se torna rainha, no outro temos o ponto de vista de uma vermelha que se torna uma das líderes da Guarda Escarlate.

Canção da Rainha

Coriane Jacos sempre foi uma garota humilde, sem muitas aspirações. Apesar de pertencer a uma das grandes casas da nobreza prateada, eles estão falidos, mal tem dinheiro para se sustentarem. Mas precisam manter a pose de nobres. Seu hobby favorito sempre foi lidar com maquinário, esquemas técnicos, gosta de criar coisas ou concertar com suas ferramentas, o que é totalmente reprovado por seu pai Harrus Jacos, que dizia não ser algo apropriado para uma dama. Seu irmão Julian sempre foi a pessoa que ela mais ama nesse mundo, junto com usa melhor amiga Sara Skonos, são as pessoas que sempre a aceitaram exatamente do jeito que ela é, e as pessoas que sempre pode recorrer quando precisava de apoio ou desabafar. Julian e Sara são apaixonados um pelo outro, o que faz Coriane temer um futuro onde eles vão se casar e ela vai acabar sozinha com sua prima idosa Jessamine Jacos , a responsável por sua educação, uma pessoa rancorosa e amarga que ela detesta.

Uma reviravolta acontece e o pai de Coriane acaba assumindo o posto de Senhor da Casa Jacos, depois da morte de seu tio Jared. Harrus assume o cargo de Governador e a família Jacos se muda da província para a corte. Isso só faz com que Coriane se sinta mais triste e deslocada, ela nunca se sentiu verdadeiramente parte da Corte, sempre quis uma vida calma no campo, poder criar coisas.

Coriane Jacos
Em um jantar no palácio de Whitefire, ela conhece o rei Tiberias, a Rainha Anabel, o amante do rei o Príncipe Robert e o filho e príncipe herdeiro ao trono Tiberias IV. O jantar tem tudo para ser tranquilo até que ela é abordada por Elara, da casa Merandus, composta por murmuradores, que entra na sua cabeça e começa com seus joguinhos e para escapar dela ela foge para os jardins. Cara você percebe que a Elara já era uma víbora desde aqueles tempos, e foi só ficando pior ao longo do tempo. Quando está nos jardins quem vai ao seu encontro é o príncipe Tiberias e eles começam a conversar e de alguma forma um laço se cria entre eles. E com  o passar do tempo eles vão se tornar muito próximos, se tornam os portos seguros um do outro, mas ao mesmo tempo a prova real se aproxima. Onde as herdeiras de todas as casas vão disputar em uma luta sangrenta o direito a se tornar a noiva de Tiberias, e futura rainha de Norta. Coriane tenta não pensar em seus sentimentos e que em breve Tibe (apelido carinhoso que ela chama o príncipe) vai estar noivo de outra. A relação dela com Robert também é muito fofa, ele se torna um grande amigo dela. Até que o príncipe declara que não haverá prova real, que fez sua escolha e que nenhuma arena o fará mudar de ideia e pede Coriane em casamento. É tão linda a relação dos dois, muito linda mesmo, e eu achei muito legal ele ir de contra toda uma tradição por amor a ela. Esperaram até que ela completasse 16 anos para fazer o casamento. Apesar da vida feliz ao lado de seu amado, Coriane sente muito medo por sua vida, vive tendo pesadelos e perde muitos bebês ao longo do tempo. Quando está grávida de seu 4º filho, resolve não falar para ninguém com medo de seus inimigos. O rei e Robert acabam falecendo e Tiberias assume o Trono, cada vez mais Coriane se sente enlouquecendo, houve múrmuros em sua mente, os pesadelos cada vez mais frequentes, porém ela não fala com ninguém, não querendo parecer fraca ou incomodar, apenas registra tudo em seu diário, que ganhou de seu irmão. Até que Elara a mata e destrói o diário. Nossa que raiva que da, nossa chorei muito, apesar de você saber que ela vai morrer pois aparece no primeiro livro, é muito doloroso você ver por todo o sofrimento que ela passa, o que a Elara faz com ela, e o pior de tudo é que ela assume como rainha depois, a mulher que matou a primeira rainha, a mulher que o rei Tiberias amou. Gostei da parte do Cal ter herdado dela o mesmo fascínio pela mecânica e de gostar de construir coisas.

Cicatrizes de Aço

Já nesse conto nós vemos as coisas pelo ponto de vista de Farley. Uma das Capitãs da Guarda Escarlate, Farley sempre foi fiel a causa, trabalhou duro por tudo aquilo que sempre acreditou. Sempre trabalhou ao lado do Coronel, seu pai mas que ela decidi ignorar, tudo que sabemos é que ela o odeia, e ele nunca foi realmente um pai que ela precisou, então tudo que ela vê é um Coronel que ela deve obediência e nada mais. Vamos entender melhor como as informações são passadas de uma base a outra da Guarda, primeiro que nunca utilizam seus nomes e sim apelidos nas cartas, o seu é Ovelha, e todas são escritas em códigos para que caso as cartas caiam em mãos erradas os prateados não consigam assimilar a informação que elas contêm.

Até que Farley é escalada para sua própria operação pelo Comando, nível mais alto da hierarquia da Guarda Escarlate, Operação Teia Vermelha. Ela que vai estar no comando e o Coronel não vai estar , isso a empolga muito ainda mais que a missão vai ser em Norta, se infiltrar diretamente no coração dos prateados.

Diana Farley
“Sou a Capitã, a comandante, e preciso ser perfeita. Não há lugar para erros e hesitações. Seguir em frente, a todo custo. Vamos nos levantar, vermelhos como a aurora.”
Durante a missão vamos ver bastante a interação dela com seus soldados, como o Tristan, seu tenente, que é seu braço direito, um amigo com quem ela pode contar.  Nessa primeira parte eles precisam estabelecer canais abertos para comunicação com um grupo de contrabandistas. Onde conseguem descobrir a rede dos Assobiadores. Eles acabam em Palafitas e ela conhece Shade Barrow. Com o tempo ele acaba se tornando indispensável, sempre trás várias informações importantes, mas o estranho é que sempre aparece sem ser notado por nenhum dos olheiros, entra e sai sem nunca ser visto. E apesar de ter recebido ordens para voltar, Farley ignora as ordens e se  mantém em Corvium, pois acredita que tem pessoas importantes ali para recrutar para a Guarda e as informações que está recebendo também tem ajudado bastante a causa. A relação da Farley e do Shade vai se tornando mais íntima, eles se importam um com o outro, muito fofo, shippando muito os dois hahahahaha.

Eles acabam sendo descobertos mas graças a Shade consiguir avisar a tempo eles conseguem sair da casa antes dos prateados chegarem. Na fuga Shade acaba revelando seu poder para salvar Farley o que a faz ficar confusa e acreditar que ele é um prateado e que estava a enganando. Ele mostra o sangue vermelho e diz que mesmo sendo vermelho possui poderes prateados e que não entende porque. Ela o recruta para a Guarda Escarlate e ele concorda com uma condição, que ela diga seu nome verdadeiro para ele, ounnnnn que lindo essa parte também. E ela concorda, seu nome verdadeiro é Diana, e ele concorda em entrar mas diz que está do seu lado.


É muito legal esses contos, porque você passa a entender melhor pontos que no primeiro livro não foram explicados. Fora que você passa a entender melhor como os personagens pensam, por exemplo a Farley, eu sempre fiquei meio que com o pé atrás, mas depois de ler o conto passei a adorar ela. Apesar de toda aquela máscara de durona, ela é uma mulher que luta pelos indefesos, que luta por uma causa que acredita ser o melhor para todas as pessoas.

As capas dos Contos:

 

Gostei bastate, super recomendo a leitura para quem está entrando no universo da Rainha Vermelha, leia depois do primeiro livro tá! Espero que tenham gostado da resenha. Até a próxima!


Daiana Moreira, resenhista e colaboradora do Alquimia dos Romances

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords