[Resenha]: Segredos de uma Noite de Verão – Lisa Kleypas

Sinopse: Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle. No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz. As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso. No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.


Título: Segredos de uma noite de verão – Livro #1 As Quatro Estações do Amor (Wallflowers)
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
ISNB: 9788580414271
Idioma: Português
Gênero: Literatura estrangeira / Romance de época
Páginas: 288


Lombada com detalhes das estações do ano.




***** 

É o primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor (Wallflowers), ‘Segredos de uma noite de Verão’ conta a emocionante história de Annabelle Payton e Simon Hunt, onde descobriremos que o verdadeiro amor é mais importante do que as convenções sociais, que amigas fazem toda a diferença e que temos que priorizar os nossos corações.


O livro começa com um prólogo lindo, que me encantou completamente e já me deixou esperando por mais.

Eu sempre leio algumas resenhas antes de fazer a minha e em todas as que eu li eu só vi as pessoas julgando e reclamando da personalidade ‘egoísta e preconceituosa’ da protagonista, o que eu discordo, vamos a resenha que vou explicar o que eu achei.

A protagonista, Annabelle Peyton, apesar de ter uma beleza incrível já passou da idade de casar (25 anos), a mesma possui título mas não um dote, o que acaba por não atrair os pretendentes mais disputados da sociedade que acabam por preferir uma esposa rica. A sua família está em grave dificuldade financeira e por ter um irmão, Jeremy, em idade escolar que necessita de uma educação custosa a mesma não possui dinheiro para custear mais uma temporada em Londres (sendo essa a sua última chance de conseguir se casar) e nem para comprar vestidos novos e acaba por contar literalmente cada moedinha que possui. Por ser bonita e não ter dote acaba por receber diversas propostas indecentes e atenções indesejadas de alguns ‘cavalheiros’ que a querem somente como amante e acreditam que ela acabará por aceitar devido ao desespero em que encontra a sua família.

Apesar da pouca perspectiva de conseguir um marido, Annabelle faz amizade com três meninas (Lillian, Daisy e Evie) um pouco mais novas do que ela, que sempre tomam chá de cadeira nos bailes por não possuírem título ou trejeitos sociais apesar de terem dinheiro (Lillian e Daisy que são irmãs e são americanas) e Evie que apesar de ter dinheiro, o pai ganhou o mesmo com jogos de azar e também é muito tímida e gaga o que torna uma conversa bastante difícil com um possível pretendente.

As quatro percebendo que estão na mesma situação, resolvem se unir e formar um ‘clube’ (que batizam de Wallflowers) para concentrarem as forças no casamento de uma por vez, começando sempre pela mais velha do grupo. A amizade entre as quatro torna o livro extremamente interessante não só pelas artimanhas para tentar agarrar um marido assim como pela própria amizade compartilhada entre elas.

Simon Hunt, nascido de classe operária com um pai açougueiro, se tornou um visionário ao fazer os investimentos certos e triplicar o seu dinheiro e com isso fez fortuna rápido e ascendeu a classe social de Londres, apesar de ainda ser mal visto pela nobreza de sangue azul, o mesmo é amigo pessoal do Conde Westcliff (bastenta influente na sociedade) e possuem investimentos em comum, e com isso é aceito, ainda que a contragosto, nos diversos bailes oferecidos pela aristocracia de Londres.


"Um homem podia ser perdoado por ser um emergente, desde que possuísse uma boa dose de cavalheirismo. No entanto, Simon Hunt não tinha. Não era possível travar conversas educadas com um homem que sempre dizia exatamente o que pensava, não importava quão pouco lisonjeiras ou censuráveis fossem as suas opiniões. Página 20."

A atração entre Simon e Annabelle se desenrolada desde a primeira página, ele além de bonito é rico, no entanto ele não possui título e caso Annabelle casasse com ele decairia de posição na esfera social, sendo até mesmo rejeitada por alguns da nobreza e ela que só teve durante muito tempo a sua posição social para se agarrar e se orgulhar reluta demais em abrir mão da única coisa que contava com certa no mundo para dar chance ao verdadeiro amor.
"Você não é ninguém se não for casada com um nobre - assegurou Annabelle. - Na Inglaterra, a nobreza é tudo. ela é determina como os outros vão tratá-la, as escolas que os seus filhos irão frequentar, os lugarem a que será convidada... Determina todo os aspectos da sua vida. Página 61"
A história se desenrolada com vários momentos muito engraçados entre os personagens e a interação entre eles é tão cativante que não dá vontade de largar o livro durante nenhum momento. O livro mostra o ponto de vista dos dois personagens o que nos faz entender os motivos pessoais de cada um para as atitudes tomadas por eles durante o desenrolar da trama.

Eu amo a escrita da Lisa Kleypas e sabia que ia adorar essa série também assim como ‘Os Hathaways’, nota que essa série foi escrita e ocorre ANTES de toda a história narrada nos livros dos Hathaways.

O final do livro é maravilhoso e eu já gostava da Annabelle só pude ficar ainda mais feliz com desdobramento final do livro. Eu entendo o porquê de todas as atitudes que ela tomou e a sua relutância em aceitar Simon, apesar da química entre ambos, como o seu verdadeiro amor.

É fácil julgar quando vivemos em uma época totalmente diferente, ao lermos romance de época, devemos nos lembrar que as mulheres eram consideradas posses e que os casamentos eram feitos para se obter vantagens sociais, seja pelo dinheiro (dote) ou pela posição social a ser obtida, e os casamentos por amor eram extremamente raros e que importava eram as aparências. Sendo assim, é extremamente difícil para uma mulher sem dote, que possui apenas beleza ser vista nada mais do que como uma futura amante que aceitaria um ‘benfeitor’ rico que a bancasse apenas para tentar privar a sua família da ruína.

E como disse acima, apesar de Annabelle ter decaído no estilo de vida que possuía quando seu pai era vivo, possui apenas o seu orgulho e o seu título para se agarrar em meio a tantas adversidades e acreditar no verdadeiro amor e dar um salto de fé é mais difícil do que parece.

O livro é maravilhoso e você se emociona em diversas partes e fica torcendo pelo final feliz!
"Eu morreria mil vezes para poupá-la do menor dano. E o fato de que se dispusera a jogar a sua vida fora em um sacrifício completamente inútil é mais do que posso suportar."
Recomendo o livro para os fãs de romance de época que não vão ficar decepcionados com a história e para os que gostam de um bom romance, afinal Lisa Kleypas nunca deixa a desejar. 

Estou ansiosa para o próximo livro que traz a historia da Lillian e do Conde de Westcliff, que se odiaram a primeira vista e as trocas de farpas vão gerar altas gargalhadas. A resenha de ‘Era uma vez no Outono' será postada ainda essa semana.
 
Capas belíssimas em português da Editora Arqueiro
  
Cada livro é sobre uma das meninas: Annabelle, Lillian, Evie e Daisy, e cada livro se passa em uma estação.

Simon Hunt
Annabelle Peyton
  
PS: Tradução de Wallflower (nome da série em inglês) - Uma pessoa que não tem par para dançar ou que se sente tímido, desajeitado, ou excluído em uma festa.





                 Louise Facina, resenhista e colaboradora do Alquimia dos Romances.

2 comentários:

  1. eu curti muito a trama no geral, em primeiro momento é difícil gostar de Annabelle por conta dessa busca por um marido rico, mas creio que a autora tenha tido esse cuidado em desmistificar a sociedade londrina da época
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A situação da Annabelle é bem complicada desde o começo, e eu gostei dela de cara, mas entendo até o receio dos outros leitores com ela.

      Quanto a sociedade Londrina, achei o livro até mesmo bastante fiel porque mostrou de certa forma tudo o que ela sofreria se não tivesse conseguido um marido.

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir

Faço parte das...

Google+ Followers

Networkedblogs

Views

HOTWords