[Resenha] Ilha de Vidro: Nora Roberts









Aloha, Meninos e Meninas!
E então a nossa primeira resenha de 2019...Feliz Ano Novo!

E eis que chegamos ao fim da minha primeira trilogia da Nora Roberts Brasel! E com certeza não será a última!
Sabia que o último livro seria o melhor, e o que me traria mais "saudade", de esperar pelo próximo.


- “Ela aparece e desaparece segundo sua vontade”.
 Navegando na névoa do tempo e do lugar Muitos vislumbram suas margens, mas raramente as partes de vidro. Somente os escolhidos pelo destino, aqueles cujos atos, feitos e poderes têm méritos, têm acesso a ela. Pag 44


Ilha de Vidro é sem sombra de dúvida o melhor livro da trilogia e entrou pros meus queridinhos da vida. E foi uma delícia não só esperar por ele, como lê-lo, e terminar com aquela sensação gostosa de que valeu cada página.
Nesse último livro a Nora, amarrou cada pedacinho solto que ela possa ter deixado nos livros anteriores, e o gostoso disso tudo foi ver que cada personagem foi construído respeitado um tempo que não deixou a história chata, ou na mesmice de você saber qual seria o final dela.

Conhecer as histórias da Riley e do Doyle e acompanhar o desenrolar pouco provável dessa relação, foi no mínimo divertido pra não dizer hilário e sim, porque não dizer excitante.

No decorrer dos demais livros já imaginava que a Riley não fosse tão durona e fria quanto queria parecer e nem o Doyle tão frio e sistemático. 

Surpreendeu-me o fato do Doyle ter tido dois relacionamentos anteriores, imaginei no mínimo um que teria devastado ele e por isso ele seria tão frio quanto a relacionamentos fosse do tipo que fosse, mas saber que ele se permitiu viver isso mostrou um personagem mais humano, o que nos outros livros me deu certo incomodo, por não ver isso nele.

Quanto a Riley essa demonstração de fragilidade que a ela conseguiu nos mostrar nesse livro na sua forma de loba, deixou-a encantadora e transformou-a na minha personagem predileta antes mesmo do Bran. Rs

Nesse livro fechamos o ciclo dos seis personagens que compuseram essa trilogia, cada um trouxe pra história um pouco de si o que deixou a leitura muito gostosa e fluída.

No primeiro livro conhecemos a história de Sasha a vidente com Bran o mago e tão logo se virão à conexão entre os dois foi instantânea e absoluta. Um encontro de almas, clichê, porém tão natural, são pieguices que não ficou “forçada” a já anunciada união dos dois.
E ver o crescimento do personagem nos livros seguintes me deixou muito contente, pelo fato dela não ter sido relegada a apenas uma personagem frágil que precisava de proteção o tempo todo.

No segundo livro nos encantamos pela Annika, sua doçura e inocência e seu amor puro pelo Sawyer, confesso que algumas vezes ela me deixou nervosa, necessito falar disso, tive certa dificuldade de realizar, como uma pessoa podia ver beleza em tudo e nenhuma malícia, tanta fé na humanidade, mas nem de longe isso atrapalhou minha leitura ou meu entusiasmo com o casal, foi legal ver o desenrolar da relação e tudo pelo qual eles passaram, embora tenha deixado marcas em ambos, Annika continuou com a mesma pureza, entusiasmo e doçura do primeiro livro.

Nesse ultimo livro da trilogia, conhecemos mais sobre a origem dos guardiões e o desenrolar dessa historia que se formou antes mesmo do nascimento de cada um deles.
Conhecemos um pouco mais das Deusas criadoras das estrelas, e a teia tecida por elas para que os guardiões tivessem sucesso não somente na sua busca pelas estrelas, mas também na grande batalha que culminaria no fim de tudo ou num novo recomeço para os mundos.


Buscar as estrelas. Servir à Luz. Guardar os mundos. Pg. 158


Assim como conhecemos o passado e os segredos do Doyle, suas frustações como imortal, podemos ver o quão traumatizante foi a perda do seu irmão, a ponto de ele não querer ter mais nenhum vínculo com ninguém em toda sua vida imortal, podemos ver seu desarme, quando ele percebe que aquelas pessoas que ele conheceu a tão pouco tempo, se tornaram sua pequena família, e que ele fará tudo para protegê-los, mesmo que isso signifique sacrificar a sua imortalidade.

Também podemos ver a construção de um amor nada convencional, porém muito aguardado entre ele e Riley, e confesso que foi muito gostoso de ver esses dois juntos, toda a voracidade e desejo explodindo pelos poros de ambos. E o quanto cada um conhecia o outro, a ponto de esperar o momento certo pra tomar qualquer atitude, respeitando o espaço de cada um. Embora, uma ou outra vez tivessem precisando de um pequeno empurrãozinho.


Olhe para o passado para encontrar o futuro.
Ela espera na escuridão fria e imóvel.
Sangue do sangue a libertará.
E então o gelo arderá, brilhante como um sol.
Pg.149


Nesse livro também podemos ver a ânsia crescente pelo poder através da loucura de Nerezza e da subserviência de Malmon, capazes de cegá-los tão completamente que eles sequer percebem que perderam antes mesmo do grande embate.


- E ela espera fraca e fria, sendo cuidada por sua criatura. Espera e reúne poderes sombrios para atingir coração, mente e corpo. Este mundo estremecerá com sua ira. Busquem o passado, abram o coração. Pg.78


Embora cada livro tenha trazido a história de cada casal, todos foram protagonistas principais de uma história que soube aproveitar o melhor dos seus personagens.

SINOPSE

Nerezza, a deusa da escuridão, ainda não desistiu de obter as Estrelas da Sorte e destruir todos os mundos. As Estrelas de Fogo e de Água já foram recuperadas pelos seis guardiões, mas resta a Estrela de Gelo, e a batalha atingirá seu clímax.

Doyle McCleary, o espadachim imortal, prometeu nunca mais voltar para casa. No entanto quando a procura pela última estrela o leva ao condado de Clare, na Irlanda, ele deve encarar o passado. Três séculos atrás, uma tragédia o obrigou a fechar o coração para o amor, sobrando em seu peito apenas morte e solidão. Sua natureza selvagem só não é mais intensa que a de Riley...e da loba que há dentro dela.

Arqueóloga e licantropa, a Dra. Riley Gwin não se rebaixa a ninguém. Fechada em sua biblioteca, em busca da misteriosa Ilha de Vidro, ela tenta negar a forte atração que sente por Doyle. Afinal, a última coisa de que precisa é uma distração.

À medida qu o último desafio dos guardiões se aproxima, a loba e o imortal têm que unir forças pela vida de seus amigos. Com Nerezza recuperada e furiosa, os dois vão descobrir que a melhor arma para dar fim à escuridão talvez seja o amor.

Quanto vale a leitura? 


Namastê
Báh B.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Networkedblogs

Views

HOTWords