[ Romance ] Todo o Tempo do Mundo - Mauricio Gomyde




Eu simplesmente amo quando um livro fala com meu coração, e TODO O TEMPO DO MUNDO do é um desses casos.

MARAVILHOSO!

Entrou pros meus favoritos da vida. 

Estou encantada até agora.

Nunca havia lido nenhum livro do Mauricio antes, devo confessar TODO O TEMPO DO MUNDO, foi sugestão da minha querida amiga Leninha do Blog Sempre Romântica na Bienal do livro São Paulo 2018, e devo dizer que esse livro fez com eu ficasse ainda mais interessada no trabalho desse escritor tão incrível.

O que mais me tocou nesse livro, não foi o fato de ser um romance maduro, mas sim o fato de se falar da vida, em viver a vida, ou melhor, como viver a vida na sua forma mais plena possível, deixando pra trás as dores, as culpas, os arrependimentos, e recomeçando do zero se, e sempre que se for preciso.

O livro é uma sucessão de encontros e desencontros de almas irmãs, capazes de deixar os corações mais frios, saudosos de tempos em que tudo era mais saboroso, e estar com os amigos e a família eram a nossa melhor e principal preocupação.

E o que dizer do repertório dos anos 80, que vai de Cindy Lauper, Pink Floyd, Led Zepellin à Carlos Gardel, um aditivo a mais, as páginas desse livro, cheio de vida.

“Os biscoitos da sorte literários” são um quê a mais, muito bem vindo e por demais enriquecedores.

“A felicidade só gruda na pele de quem aposta todas as fichas em algo que não pode ser nada menos que perfeito”. M.G

AMANDA E VITOR nos mostra como podemos ser capazes de nos reconstruir diante das situações que a vida nos impõe, que mesmo nos momentos mais incertos e difíceis, às vezes tudo que precisamos é dar um salto de fé e abraçar o momento e o desconhecido que vem com ele, vivendo o novo sem amarras e receios. Já STELLA E INÁCIO nos ensina que a felicidade não tem idade e que nunca é tarde para ser feliz ao lado de quem tanto lhe é indispensável.

Ler esse livro é voltar num tempo, por demais raro nos dias de hoje, aqueles tempos de colégio, onde aprendíamos sobre amizade e respeito, onde a vida tecnológica era apenas um sonho, onde se vivia o hoje, o momento, as brincadeiras de roda, picula, esconde-esconde e salada mista. Tempos bons que não voltam mais.

Embora também nos mostre a solidão daqueles que tiveram que viver ainda na adolescência , e seguindo os dias de hoje, momentos difíceis até mesmo de compartilhar com outro alguém, seja por uma perda ou qualquer outro motivo, a leitura não deixa de ser um grato retorno ao passado de cada um que ousar não somente ler o livro, mas compreender a sutil complexidade da necessidade que era, e ainda é de se encaixar no mundo, seja na juventude ou na fase adulta.

Devo confessar que até agora eu me faço a pergunta: - o que é felicidade genuína?

Para alguns é um momento, um prazer, um instante de carinho e bem estar, ou simplesmente o estar com alguém especial.

Mario Sérgio Cortella, em VIVER EM PAZ PARA MORRER EM PAZ, diz que a felicidade, não é algo contínuo, porque se fosse algo contínuo nós não perceberíamos como a respiração. Só percebemos que precisamos dela, ou que estamos respirando, quando sentimos falta de ar, por exemplo. Felicidade, segundo ele é um episódio de vibração da vida.

“ A felicidade é bemol. A tristeza sustenido”

Pra mim felicidade genuína é aquele friozinho na barriga quando a gente conhece uma pessoa com quem se identifica de imediato, é aquele momento que a gente se entrega de corpo e alma a alguém, ou simplesmente aquele projeto que nos dá tanto prazer, é rir do nada sozinha com alguma lembrança do passado, é cafuné de mãe, dormir de conchinha no frio, ou simplesmente ter um ronron do seu lado naqueles momentos de contemplação solitária da vida.

“FELICIDADE é matemática pura: UM NOBRE OBJETIVO DE VIDA, mais momentos memoráveis, mais saúde, MULTIPLICAMOS o resultado por viajar o mundo e dividimos as conquistas COM OS AMIGOS DE VERDADE. O resultado a gente eleva ao quadrado". M.G 

E pra você o que é felicidade genuína?

SINOPSE

Meu nome é Vitor Pickett. Eu viajo no tempo...

Ok, você já leu muitas histórias assim, mas garanto que todas não passam disto mesmo: histórias. No meu caso, por mais inacreditável que pareça, é tudo verdade. Eu REALMENTE viajo no tempo. As viagens duram segundos, minutos ou, no máximo, poucas horas. Se fico insanamente feliz, volto ao passado; se absurdamente triste, vou para o futuro.

Isso me criou tantos problemas, que a única saída foi me isolar num canto do mundo e passar meus dias tentando nunca mais ser feliz nem triste.

A causa? Amanda. Por que eu? Não sei. Um dia vai acabar? Não faço ideia. Mas hoje de manhã chegou um convite. E acho que finalmente poderei descobrir se o que me acontece é dádiva ou maldição...

Quanto vale a leitura? 


Namastê
Báh B.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Networkedblogs

Views

HOTWords