[ Romance ] O Sal das Lágrimas - Ruta Sepetys






Olá Meninos e Meninas,
Tudo Bem!?
Hoje vamos falar de um livro muito profundo e tocante O Sal das Lágrimas de Ruta Sepetys – que livro difícil – mas não pela escrita, pelo contrário ela é bem dinâmica, embora tenha seus momentos.
Mas sim pela trajetória de cada personagem.

Muitas vezes me peguei pensando como deve ter sido para milhares de pessoas essa fase tão sangrenta da nossa história, não saberia dizer se o mais difícil teria sido tantas mortes inocentes ou o fato de que muitas pessoas apoiavam isso, por vezes até denunciando familiares, amigos e vizinhos, por uma simples contenda que houvesse.
Deixa-me perplexa saber que nós seremos humanos somos capazes das piores atrocidades e que nessa época a pior delas era o silêncio e a conivência.
Afinal, a Alemanha não se levantou contra as ideias absurdas de um louco psicopata.

Nesse livro conhecemos um pouco da história dessa guerra pela visão de pessoas de diferentes localidades dentro da Alemanha.

Joana uma enfermeira lituana com o coração cheio de culpa e remorso, que ajuda a todos que cruzam seu caminho, na esperança de reencontrar sua mãe ou algum familiar de quem se separou quando fora mandada para longe. 
Possui um espirito abnegado e nobre, sempre disposta a ajudar até mesmo aqueles que se negam ajuda, durante sua jornada na costa da Prússia para fugir do avanço do exército soviético vai passar por grandes dificuldades, mas sempre procurando ver o melhor lado das pessoas, e tentando manter a sanidade intacta diante de tanta atrocidade.

Florian um talentoso restaurador das artes, que teve sua confiança traída por aquele que julgava ser seu mentor, fará de tudo para se vingar daqueles que o traíram, e esta disposto a usar seu dom para fugir da guerra, levando consigo o maior segredo de um dos comandantes de Hitler, e seu mais cobiçado objeto de valor.
Não confia em ninguém e é capaz de tudo para alcançar seus objetivos, ele só não esperava cruzar com a bela Joana, que o ajuda após sofrer um acidente, quando estilhaços de uma bomba o atingem. Talvez quem sabe ela seja um meio para chegar até um fim, ou não?

Emilia é uma jovem polonesa cheia de sonhos, enviada a casa de amigos da família por seu, para ficar protegida da guerra, de coração puro e bondoso, sempre fora tratada como empregada pela matriarca da família que a acolhera, porém nunca perdera sua doçura e mesmo marcada pela dureza dos tempos de guerra, ainda guarda dentro de sim a ingenuidade de menina, vê em Florian seu salvador e protetor e ele vê nela a irmã que tanto busca encontrar.

Alfred é um alemão e nazista da pior espécie, louco e completamente perdido em meio aos seus devaneios e desejos de grandeza, acredita que seu trabalho no exército é muito mais do que realmente, designado para ajudar durante os preparativos para a evacuação dos refugiados, vê em Florian a grande chance de sua vida, ser reconhecido por todos como um herói. 
É pra mim a personificação de tudo de ruim que essa guerra trouxe consigo, a face do preconceito, da covardia e do desamor ao próximo.

Durante sua jornada para fugir dos horrores da guerra nossos três caçadores, muitas vezes caça, se deparam com todo tipo de dificuldades, fazem grandes amizades, e também tentam curar suas feridas, porém mal sabem eles que suas vidas estarão para sempre interligadas ao destino do navio que os levariam rumo a um novo recomeço.

Vidas serão perdidas, e novos caminhos serão refeitos, mas as lições aprendidas no caminho permaneceram para sempre cravadas em suas peles como cicatrizes de uma guerra que devastaria uma nação inteira.

Quando ouvimos, vemos ou pensamos sobre a Segunda Guerra Mundial tudo que temos são relatos de descendentes daqueles que vivenciaram o horror da Guerra, por isso não somos capazes de imaginar verdadeiramente o quão terrível foi para essas pessoas e todo tormento pelo que essas elas passaram, ou mesmo o quão profundamente elas foram afetadas em vida.

Ruta Sepetys, consegue com esse livro nos passar uma profundidade quase serena e sem sensacionalismo do horror que foi para seus antepassados terem que vivenciar de perto tão horrendo acontecimento.
E com isso ela nos toca até a alma, através dos relatos de seus protagonistas, cada um a sua maneira, sem deixar de nos demonstrar também o quanto afetados eles foram pelas próprias ações no decorrer desse fatídico episódio.
Nos sensibilizamos com eles, por vezes amando e odiando-os em determinados momentos/situações.
Porém, no fim nos comovemos com sua demonstração de resistência, luta, força e desolação.

E que no silêncio de nossas casas, façamos uma prece silenciosa após a leitura, para que tal horror jamais se repita no mundo.
Que possamos ter aprendido com os erros do passado, através das histórias de vidas e fatos reais que ocorreram quando o mundo ainda era tão cruel com o que consideravam diferente.

SINOPSE

Inverno de 1945, Segunda Guerra Mundial. 
Quatro refugiados, quatro histórias.

Joana, Emília, Florian, Alfred. Cada um de um país diferente. Cada um caçado e assombrado pela tragédia, pelas mentiras e pela guerra. Enquanto milhares fogem do avanço do exército soviético na costa da Prússia, os caminhos desses quatro jovens se cruzam pouco antes de embarcarem em um navio que promete segurança e liberdade. Mas nem sempre as promessas podem ser cumpridas...

Profundamente comovente, O Sal das Lágrimas se baseia em um acontecimento real. O navio alemão Wilhelm Gustloff foi afundado pelos russos no início de 1945, tirando a vida de mais de 9 mil refugiados civis, entre eles milhares de crianças. É o pior desastre marítimo da história, com seis vezes mais mortos que o Titanic.

Ruta Sepetys, a premiada autora de Cinzas na neves( publicado anteriormente como A vida em tons de Cinza), reconta brilhantemente essa passagem por meio de personagens complexos e inesquecíveis.



Quanto vale a leitura:


Namastê
Báh B.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço parte das...

Networkedblogs

Views

HOTWords