[ Romance de Época ] - Uma Paixão e Nada Mais - Mary Balogh







Aloha Meninos e Meninas,
Tudo bem!?

Nosso queridinho da vez é esse livro lindo da Tia Mary Balogh – Uma Paixão e Nada Mais – a história do nosso gaguinho charmoso, o Conde de Ponsonby.
E já de início o que eu posso dizer é que o que eu mais tenho gostado dos livros da Mary é que cada história de superação é única e seus personagens são tão peculiares quanto, seus traumas e a forma como cada um consegue lidar é muito particular, e embora culminem para um ponto em comum, o caminho até chegar lá nunca é o mesmo, e é justamente ai que você se apaixona pela história em questão.

Nossa mocinha Agnes não nada convencional, pelo contrário é muito apaixonada pela forma como vive a vida no campo ao lado de sua irmã mais velha, e se considera muita afortunada por ter se casado tão jovem, embora seu casamento tenha sido breve, ela acredita que um casamento sem os arroubos da paixão e as inconsequências dos flertes tenha sido a melhor opção para uma vida marcada pelas ações do passado de seus pais.

Nesse livro conhecemos a triste história de Flavian e o entendemos os motivos que o fazem ser tão cético a casamentos e finais felizes.
Podemos ver o quanto seu acidente foi tão marcante física e mentalmente, vindo a interferir inclusive em suas memórias mais intimas e antigas.
E o quanto seu amor pelo irmão fizeram dele a pessoa que ele nos dias atuais.
E posso dizer que é a história de superação mais intensa até agora.

Porém, eis que num baile, na mansão de Middlebury Park, residência do Visconde e da Viscondessa de Darleigh, ela conhece o enigmático Flavian, a princípio a simpatia entre os dois passa longe, na verdade eles passam a se “suportar” apenas pelo carinho que sentem pelos amigos em comum, mas no fundo enquanto Agnes acha Flavian aristocrático demais, Flavian a vê apenas como uma pobre mocinha do interior.



-A senhora invadiu a minha p-privacidade – disse ele – assim como eu invadi a sua. O que fazer? Devemos os dois voltar para casa insatisfeitos ou ficar por aqui e desfrutar de momentos de privacidade juntos, por algum tempo?
De repente a campina pareceu a Agnes bem mais solitária e remota do que aparentava quando ela estava sozinha.
- Como os narcisos contemplam o mundo? – perguntou ele, retirando a mão do ombro dela e voltando a segurar a haste do monóculo.
- Eles olham para cima – respondeu ela. – Sempre para cima.
Ele ergueu uma das sobrancelhas e lançou a ela um olhar zombeteiro.
- É um bom c-conselho para todos nós, não acha, Sra.K-Keeping? – disse ele. – Todos nós devemos sempre olhar para cima e nossos problemas deixarão de existir.


O encanto é imediato embora não seja “visível” para todos, pois nosso atormentado Flavian se nega a acreditar no que os sentimentos dizem, e nossa mocinha insiste em se negar a ceder as inquietações que começam a surgir em sua mente, porém a medida que ambos começam a se aproximar despretensiosamente a paixão é inevitável e avassaladora.
E embora Agnes esteja disposta e resignada a apenas ter um romance de verão, não é isso que nosso Conde tem em mente.

Flavian sabe que Agnes embora “interiorana”, não é qualquer moça, muito menos uma amante, além de ser amiga protegida da esposa de seu melhor amigo, sendo assim ele toma a única atitude sensata diante dos acontecimentos – é necessário um casamento – e assim é feito, porém nosso Conde possui não só questões pendentes com o passado, como segredos que não compartilhou com Agnes e esses segredos podem por em risco uma bela história de amor que esta apenas começando, uma vez que sua ex-noiva surge dos "mortos" julgando se pretendente a Condessa no lugar de Agnes.
E uma vez que ela tem todo apoio da família de Flavian, torna-se necessário por parte dele uma atitude drástica para por Agnes no seu devido lugar - como Condessa de Ponsonby ao seu lado, nem que para isso ele tenha que enfrentar tudo e todos que se opuserem ao seu amor.

Flavian seria capaz de enfrentar a família e toda Ton em nome do amor verdadeiro, que ele julgou jamais ser capaz de sentir?

E Agnes seria capaz de perdoar uma omissão em prol da felicidade do seu casamento?

Estaria disposta ela a lutar pelo amor do seu marido com quem quer que surgisse?

Flavian perdoaria seria capaz de viver com os erros do passado? De se perdoar?

Tudo que eu posso dizer a vocês é que leiam esse livro lindo e eu espero que vocês sejam capazes de compreender a simplicidade do amor desses dois.


SINOPSE

Ao voltar para casa depois das Guerras Napoleônicas, Flavian, o visconde de Ponsonby, ficou arrasado ao ser abandonado pela noiva.

Agora a mulher que partiu seu coração ressurgiu, e todos estão ansiosos para que eles reatem o noivado. Exceto o próprio Flavian, que, em pânico, corre para os braços de uma jovem sensível e encantadora.

Apesar de ter sido casada por quase cinco anos, a viúva Agnes Keeping nunca se apaixonou nem quer se apaixonar. Aos 26 anos, ela prefere manter o controle de suas emoções e de sua vida. Porém, ao conhecer o carismático Flavian, fica tão arrebatada que acaba aceitando seu impetuoso pedido de casamento.

Quando descobre que Flavian se casou apenas para se vingar da antiga paixão, Agnes decide fugir. Mas o novo marido não tem a menor intenção de deixá-la partir, ainda mais após descobrir que, para sua própria surpresa, está completamente apaixonado por ela.




Quanto vale a leitura: 


Namastê
Báh B.

Um comentário:

Faço parte das...

Networkedblogs

Views

HOTWords